quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Ví por aí...

Alexandre Nardoni recebe visita dos filhos em Tremembé
É a primeira vez que as duas crianças, de 1 e 3 anos, visitam o pai. Pais de Alexandre levaram os netos para a visita.

Alexandre Nardoni recebeu, na manhã desta quarta-feira (29), a visita dos dois filhos na penitenciária II de Tremembé, a 140 km de São Paulo. As crianças, filhos dele e de Anna Carolina Jatobá, foram levadas por seus pais, Antônio e Maria Aparecida Nardoni, segundo o livro de registro de visitas. Por volta das 11h15, os avós e as duas crianças permaneciam no local.


--- Calma. Lá era térreo! ---


PS.: Tá, já passou a saudade! :)

domingo, 26 de outubro de 2008

Um tanto bem maior.


Produzir é legal. É legal quando dá certo, é instigante quando dá errado. Pelo menos pra mim, que demoro a me conformar em não conseguir. Sempre dá-se um jeito.

Me veio na cabeça de produzir uma entrevista pra encerrar o programa de sexta-feira e lembrei que o pessoal do Teatro Mágico estaria em Maceió. Entrei em contato com a assessoria deles e consegui marcar um horário. Inicialmente, a entrevista seria no estúdio, mas a agenda deles já estava ocupada. Então, se Maomé não vai à montanha... Enfim, fomos lá no hotel deles.

Quando estava fechando a pauta lembrei que, no primeiro show deles aqui, um grupo de fãs fez uma poesia e entregou uma bandeira de Alagoas assinada. Achei legal convida-los pra participar da entrevista. Umas olhadinhas no Orkut, consegui o contato desses fãs. Marquei com eles.

No outro dia, achei que seria ÓTIMO arrumar um cenário adequado para a entrevista. Liguei pra um teatro daqui e consegui que a entrevisa acontecesse lá. Mas, por probleminhas de logística, não foi possível levar o pessoal até o teatro e tive que desmarcar a locação no dia. Fez-se na pousada mesmo. O que foi um pena, enfim.

Só uma coisa me incomodou profundamente nessa matéria: A edição. Faltou sensibilidade, faltou carinho, faltou 'jeito'. Cortes secos, trechos desconexos do DVD. Era uma matéria especial, poxa, pra fechar o programa de forma bem leve, depois de uma semana pancada. De qualquer forma, foi legal produzir isso, por isso coloquei aqui no blog.

Aproveite.

sábado, 18 de outubro de 2008

Eloá, Eloá, Eloá...

"Bala não foi retirada da cabeça de refém durante cirurgia"
"Especialistas apontam 4 falhas na ação de resgate de reféns no ABC"
"Seqüestrador é levado para a cadeia pública de Santo André"
"Seqüestrador de jovens é transferido para CDP de Pinheiros"
"Tiros foram disparados à queima-roupa, diz diretor do IC de Santo André"

Ai que saudade dos Nardoni.

PS.: Isso é um prato cheio pro Percival, né não?

sábado, 4 de outubro de 2008

Sem comentários!

Tenta assistir ao Fala Brasil, da Record, todo dia. Você vai ter a mesma sensação que eu tive hoje cedo: Percival é o cara!

Os apresentadores dão o 'bom dia' e...

Uma matéria de polícia depois: "E agora o nosso comentarista Percival de Souza fala sobre o assunto."

Uma matéria de economia depois: "E agora o nosso comentarista Percival de Souza fala sobre o assunto."

Uma matéria de política depois: "E agora o nosso comentarista Percival de Souza fala sobre o assunto."

Uma matéria de economia depois: "E agora o nosso comentarista Percival de Souza fala sobre o assunto."

Uma matéria de qualquer coisa depois: "E agora o nosso comentarista Percival de Souza fala sobre o assunto."
E quando a gente acha que acabou, eles chamam uma repórter com link ao vivo e ela, sem titubear, diz: "E ao meu lado, o comentarista Percival de Souza fala sobre o assunto."

Eitá... Percival, sem cem comentários!

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Enquanto isso...

Ô abre alas






Um grupo dinamarquês inventou esse projeto aí. São as 'Walter Towers'. Os arquitetos optaram por dividi-lo em quatro partes, o que aumenta a ventilação e a área de incidência da luz solar nas torres.

((Pronto, Osama, não tem mais desculpa. Já tem por onde passar sem ter que bater))



Missão Impossível

"Pai e tutor da cantora Britney Spears, Jamie Spears proibiu a filha de fazer sexo durante os próximos seis meses, informou a edição online de quinta-feira(2) da revista britânica “Now”."

((Ah, mas tem pai que não sabe o filho que tem...))

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Enquanto isso...

Ah, Michael Moore...

A gordinha aí tá puta. Ela recebeu uma bela duma multa por passar muito tempo em um restaurante fast-food. Ela, que só podia ficar por 75 minutos, passou uma hora e meia com um amigo, comendo toda a sorte de porcaria. Agora, vai ter que pagar o equivalente a 510 reais da autuação.

"É ridículo. Eu gastava muito dinheiro lá e nunca mais vou voltar”, desabafa.
((Eu não tenho dúvidas de que ela realmente gasta muito dinheiro lá. Olha a espessura!))


Tá bom, mas não se irrite!

Solange Couto - a Dona Jura - desabafa: “Detesto quando me perguntam como é ser símbolo sexual”.

((Acho que é porque ela não sabe responder, né?))











Maldita cegonha...

Paris Hilton finalmente resolveu que quer ter um bebê. Não importa o pai, não importa o motivo. Ela quer ter três filhos e pronto.
((Ela deve ter cansado de só treinar...))












Mas é bobinho, esse menino...


O Cidão aê completou 81 oitenta e um aninhos de vida e se diz na flor da idade. Um site disse assim "Cid Moreira completa 81 anos em ritmo de 'deixa a vida me levar'".

((E todo mundo achando que pode ser a Dercy!))

Nostalgia

Muito difícil eu abrir espaço aqui no blog pra falar de mim, da minha cabeça, das minhas nóias e minhas sensações. No entanto, agora me deu uma súbita vontade de escrever sobre como músicas pautam épocas da minha vida.

Não muito raro, tiro da gaveta um cd antigo, abro uma pasta num local mais obscuro do computador e, ao apertar o play, instantaneamente um turbilhão de lembranças e sensações passadas me invadem, como se quisessem mostrar que existe um passado, existiram pessoas, momentos, cheiros... Mostram uma época boa, uma época mais ou menos, as vezes até uma umas ruins (quem não as tem?). Lembro de círculos de amizades que, por força do tempo, se afrouxaram. Lembro de uma vidinha-mais-ou-menos que não tem previsão de volta, lembro de que outro Arthur, com outras idéias, outras obrigações, outra rotina.

Não que o Arthur de hoje não me agrade, ou que os momentos de hoje não me façam feliz. Não que as minhas amizades atuais sejam ruins ou fracas. Amo-as incondicionalmente, por sinal. Não é nada disso. Mas não é nada ruim (re)viver o que passou.