sexta-feira, 25 de abril de 2008

Descanse em paz. Pergunte-me como!

Volto a criticar a imprensa. Volto a me irritar com algumas coisas. Assim como o Brasil inteiro, fiquei chocado com o que aconteceu com Isabella Nardoni, a menininha de cinco anos que morreu estrangulada e blá blá blá. É lógico que choca. É revoltante, é assustador, mas que cobertura massante é essa por parte da imprensa?
A Record passa a manhã inteira tocando no assunto. O Fala Brasil, só fala da Isabela. Enquanto o Hoje Em Dia está no ar, tem Isabela Nardoni. Se vai pro Jornal da Record, tem Nardoni.
A Globo também. No Jornal Nacional, antes do "boa noite", tem Nardoni. Jornal Hoje então, nem se fala. Ou melhor, SÓ SE FALA nisso!
Na Band News também só dá Isabella. Das 24 horas de notícias, vai lá, 10 são da Isabela.
Eu pergunto as pessoas ao meu redor, ninguém aguenta mais ouvir falar da pobre menina Isabela. Se ligam a tv, escutam "Isab...", já mudam de canal. Isso quando não dão azar de o outro canal estar na parte do "Nardo...". E aí trocam de novo.
É um fato importante. É uma acontecimento que chama atenção. Mas o mundo não é só Isabela Nardoni. O mundo tá aí em "crise alimentícia", o arroz tá os olhos da cara, mas os Nardoni não perdem pauta pra ninguém. Cartão coorporativo? Oi? Dilma Roussef? Quem? Presidente Lula? Ah, aquele barbudinho, né?
E só respondendo ao título do post: Desse jeito, não tem quem descanse em paz.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Peeeeega, Janderlyer

Os empréstimos irregulares feitos por deputados estaduais e pagos com o dinheiro da Assembléia Legislativa de Maceió vêm dando o que falar no Estado. O primeiro a depor, foi o deputado Paulão, do PT. Ontem, antes de ser ouvido pelo delegado Janderlyer Gomes, da Polícia Federal, ele garantiu à imprensa que o empréstimo foi pago com dinheiro próprio e não com verba de gabinete da Casa de Tavares Bastos. Foi indiciado.

Em 16 de abril, em entrevista ao radialista França Moura, Paulão disse “Eu faço um desafio: se o inquérito comprovar que eu paguei o empréstimo com a GAP (Gratificação de Assessoria Parlamentar), eu renuncio ao meu mandato”. Já ontem, depois de ser indiciado, um repórter da TV Gazeta perguntou se ele defendia o seu próprio afastamento, já que ele defende o afastamento de todos os parlamentares com nomes envolvidos na operação Taturana. Ele desconversou: “Meu caso é diferente”. Provavelmente, na visão dele, ser indiciado pela Polícia Federal por usar verba ilegal seja muito diferente de “desvio de verbas”, como é o caso dos Taturanas.

Hoje é a vez do atual prefeito da cidade, Cícero Almeida, do PP – o prefeito forrozeiro, como é conhecido – prestar esclarecimentos a Janderlyer Gomes. Em entrevistas, Almeida disse que fez o empréstimo quando era deputado em 2003, mas o dinheiro teria sido repassado ao então deputado estadual e hoje federal Francisco Tenório, do PMN, para montar uma fábrica de derivados de leite. É, talvez tenha chegado a hora de o prefeito forrozeiro dançar.

Outros depoimentos aguardados são o do deputado estadual Marcos Barbosa (PPS), a ex-deputada estadual Maria José Viana e o ex-presidente do Sindicato dos Servidores da Assembléia Legislativa de Alagoas, Aroldo Loureiro. Todos acusados, assim como Paulão e Cícero Almeida, de pagar empréstimos com verba ilícita.

Basta esperar pra ver o circo pegar fogo. Ou não.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Secretaria de Saúde apresenta soluções para o combate à dengue

A prefeitura municipal de Maceió disponibilizou oito unidades de saúde só para receber pacientes com suspeita de dengue. Os postos funcionam das sete da manhã às dez da noite nas unidades Pan Salgadinho, Bebedouro, Dique Estrada e nas unidades de saúde da Pitanguinha, João Paulo Segundo, Ib Gatto Falcão, Benedito Bentes e Graciliano Ramos. Os postos servem para impedir a evolução e diagnosticar os casos e tipos de dengue, para que sejam tomadas providências de imediato.
Cada equipe dos centros é formada por um médico, um enfermeiro e dois auxiliares, que se revezam durante vinte e quatro horas, preparados para, além de tratar, conscientizar e alertar a população local aos riscos da doença e prevenções que devem ser tomadas para evitar a dengue.


PROCEDIMENTO
O paciente dá entrada na unidade e é atendido e medicado. Depois, fica em estado de observação, quando é feita uma coleta de sangue para estudo, sendo liberado, em média, duas horas e meia após ter sido atendido. Em casos mais graves, quando é preciso fazer hidratação, o tempo de observação é um pouco maior, mas não se faz necessária, normalmente, a internação do paciente. Na maioria das vezes ele é atendido, medicado e recebe alta, podendo voltar em seguida se os sintomas persistirem.


DISK - DENGUE
Existem planos de criação de uma ouvidoria, o Disk Dengue. Um serviço gratuito que a população pode usar tanto para denunciar focos de dengue na casa dos vizinhos ou na via pública quanto para queixas clínicas. Enquanto o serviço ainda não está disponível, a secretaria disponibilizou os números 3315.5457 e 3315.5455 para ouvir a população.

Todas essas ações servem para desafogar o hospital Helvio Alto, que estava sobrecarregado com casos de suspeita de dengue.


NOTA: Matéria escrita com base nas informações levantadas na entrevista do Secretário Municipal de Saúde ao programa Alagoas Na Hora

quarta-feira, 9 de abril de 2008

No capítulo anterior desta emocionante novela...

Não analisei o crime em si. Como eu disse no texto, deixo isso para a parte jurídica do negócio. O meu objeto de estudo foi, de fato, a imprensa, pois é nela que eu pretendo seguir a minha carreira e julgo importante conhecer o campo no qual estou pisando. Sendo assim, é de extrema importância identificar as suas falhas e me policiar para que eu não as cometa.

O crime, seja ele qual for, deve ser classificado de acordo com o código penal. ESTUPRO é diferente de ABUSO SEXUAL, do mesmo jeito que ROUBO é diferente de FURTO. Caso contrário, é o mesmo que chamar Sargento de Soldado.

A imprensa, como veículo transmissor de idéias e conceitos, deve seguir à risca estas definições para que, depois, a população não saia comentando uma coisa que não aconteceu. Sim, eu quis dizer que a imprensa é a grande formadora de opinião do público em geral.

Outro erro grave, como ressaltei o tempo inteiro no post passado, é a informação deturpada. O erro na apuração, a falha na escrita do próprio texto deixa o leitor com uma idéia diferente da que ele deveria ter. A verdade não pode ser “maquiada”, ou não deveria.

Analisar todos – TODOS – os lados da notícia também é de extrema importância. Muitas vezes, o leitor lê e reproduz imediatamente o que leu. Não pára pra pensar se aquilo realmente é plausível, se pode existir uma outra conotação para aquilo. Notem, prezados, que não há em lugar algum, em nenhum veículo desses mencionados, a hora em que isso aconteceu. Descuido? Não! Os editores não queriam que o leitor pensasse que aquela menininha podia ser uma prostituta, que ela já podia, por exemplo, nem ser mais virgem. Proteção à menor? Também não! Pura vontade de que o acusado fosse condenado pela população.

Mais uma vez, e quantas forem precisas, eu digo: Não concordo com a atitude do acusado. Não aceito um crime à infância, seja ele qual for. Não me vem à cabeça o que pode se passar na mente de um pedófilo.

O que, mais outra vez, eu ressalto aqui é que isso agora pouco me interessa. A análise é em cima da imprensa, por vezes, tendenciosa que leva o leitor a não enxergar todos os lados de um fato, seja ele qual/como/quando/onde/ com quem/ porque for.
O ideal é que a notícia fosse dada em 360º. Todos os lados, todas as versões, o que não acontece nunca, em meio nenhum. E é isso, aos que não entenderam ainda, o que eu estou questionando aqui no blog.

NOTA: E CHEGA DE COMENTÁRIO ANÔNIMO AQUI NESSA BUDEGA. QUEM QUISER FALAR, COLOCA O NOMEZINHO AÍ! ANONIMATO É PARA OS SEM-CORAGEM - pra não dizer "covardes".

sábado, 5 de abril de 2008

Empresário é acusado de estuprar menina de 8 anos
Rilton Almeida foi denunciado por funcionários de motel em Jacarecica para onde tinha levado a garota amordaçada

"Chocado" é pouco pra descrever como eu me senti ao ver isso. Até porque conheço o Rilton, ou “o acusado” como o chamarei daqui pra frente, neste post.

Enfim, esta postagem não é pra defender o acusado ou condená-lo. A Justiça se encarrega disso, mas, como eu procurei muitas coisas sobre o caso dele nos sites de notícias daqui de Alagoas, uma coisa me preocupou: O desencontro de informações.

Acompanhe comigo:


A informação abaixo é do site AlagoasAgora.com.br

"Ela contou que o acusado, Rilton Almeida pediu para que ela fizesse sexo oral nele, depois mandou-a abrir as pernas e então abusou sexualmente dela, colocando o dedo em sua vagina. “Quando ele ia colocar o negócio (pênis) dele em mim eu gritei por socorro”, relatou a garota.

"Foi nesse momento, que uma das camareiras do motel Mil Delícias, localizado na AL 101 Norte, ouviu os gritos da criança e chamou a polícia, que prendeu o pedófilo em flagrante."




Outro site, o AlEmTempoReal.com.br diz:

“Na madrugada de hoje no interior do Motel 1.000 Delicias em Jacarecica o engenheiro Rilton Emanoel Melo de Almeida, 28, noivo, pai de filhas menores foi preso depois de ter sido denunciado por estar com a menor A.R.N. de apenas 10 anos.”

“Tanto a vitima como o engenheiro estão neste momento na Deplan III, onde o engenheiro foi autuado em flagrante e deverá ser recambiado para o presídio. Os policiais afirmaram que a violência praticada contra a criança foi tamanha que o lençol do apartamento do motel ficou banhado de sangue."





O TudoNaHora diz:

O empresário Rilton Emanuel de Melo Almeida, 31, foi preso, na madrugada de hoje, acusado de ter estuprado uma menina de apenas oito anos. As primeiras informações era de que A.S. tinha dez anos, mas depois a mãe da menina confirmou a verdadeira idade dela. diz também: Na Delegacia de Plantão (Deplan 3), em Jaraguá, a menina narrou o que tinha ocorrido ao delegado Fernando Tenório, que autuou o acusado em flagrante pelo crime de estupro.





Agora vamos lá:

Estupro
O código penal diz que o “estupro” só pode ser classificado se houver contato pênis-vagina. Se a menina diz que isso não ocorreu, isso não pode ser classificado como estupro, mas como abuso sexual. O que não descarta a possibilidade de que o acusado teve a intenção de praticar o estupro.
O fato é que, com certeza o delegado sabe disso (se até eu, que não sou dessa área, sei), então, tendo o depoimento da menina em mãos, como ele pode autuar o acusado em flagrante de estupro? Aí caberia abuso sexual e pedofilia, mas estupro não.

Lençol banhado de sangue
Acho pouco provável que o "banhado de sangue" seja por causa do abuso à garota. Alguma informação parece não ter sido divulgada.

Idades
O que mais variou de um veículo a outro: a idade dos envolvidos.
A menina tinha 10 ou 8 anos?
O acusado tem 28 ou 31 anos?

E mais:
Isso aconteceu de madrugada, segundo eu apurei por fora desses veículos, então o que uma menina de dez (ou oito?) anos estava fazendo fora de casa a essa hora?

A mãe da menina diz que a tinha deixado na casa de uma tia e que ela teria fugido para ir ao parque de diversões e, no momento em que o fato aconteceu, ela estava voltando pra casa.

Voltando pra casa vinda do parque de diversões durante a madrugada? Qual é o parque de diversões que fica aberto até a madrugada? Ou esse parque é 24 horas aberto e a menina tinha muito dinheiro pra gastar por lá ou esse parque é muito - MUITO – longe. Só assim a menina teria motivos para ainda estar na rua a essa hora.

Que espécie de mãe deixa uma filha na casa de uma tia que não percebe a sua ausência antes de ir dormir?

Sobre o acusado: Sei que ele não tem “filhas pequenas”, como disse o site AlEmTempoReal. Ele tem um filho de oito ou nove anos. Esse “filhas pequenas” deve ter sido colocado com a única finalidade de chocar o leitor. Uns chamam de tocar ao leitor, eu costumo chamar de sensacionalismo.

Tem muita informação que não faz sentido nessa história toda. A pressa em dar a notícia primeiro é característica do meio, mas ela prejudica a informação quando falta uma apuração detalhada do fato e dos envolvidos, muitas vezes deturpando as coisas do modo as quais realmente aconteceram. De modo que o leitor tem duas possibilidades: A de só ler um site e correr o risco de obter uma informação errada/deturpada OU a de ler vários sites e não saber em quem acreditar. E aí mora o livre arbítrio.


NOTA: Como eu disse acima, não estou defendendo o Rilton. Estou tão indignado / chocado / horrorizado / impressionado quanto o resto do mundo. Este post, como também disse antes, só tem a finalidade de analisar o que foi publicado, junto a informações que eu tenho por outras fontes.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

"UMAS LINHAS A MENOS, UMAS PUBLICIDADES A MAIS" - a nova receita de bolo

Texto elaborado na faculdade, para uma prova, respondendo à pergunta "existe liberdade de expressão?"


Dizer que a imprensa é livre é o mesmo que dizer que a justiça é cega. Sim, a liberdade de expressão é, de fato, um mito. Jornalisticamente falando, vivemos num mundo em que a sonhada "liberdade de imprensa" só fala mais baixo que a "liberdade de empresa".


A ideologia criada em torno do profissional que fala e escreve tudo o que vê e ouve é constatemente abafada pelos interesses pessoais, políticos, sociais e econômicos de seus patrões, esses sim, os que mandam na notícia.


O texto daquele jornalista neutro passa pelo crivo do editor, que certamente é o porta-voz do dono do veículo em questão.


É uma ditadura branca. Uma censura camuflada com textos, por vezes, totalmente deturpados em vista ao que saiu de seu criador. No lugar da já manjada receita de bolo da época da ditadura, umas linhas a menos umas publicidades a mais e lá está o jornal do dia: Diagramado, "redondinho", nas bancas. Exatamente como manda o figurino. E das bancas, direto ao leitor.


Leitor esse que se ilude, coitado, achando que consome o jornalismo constituído da verdade limpa, nua e crua, quando, na verdade, senta-se à mesa com o caderno diário enxarcado da visão política que eles, os "que mandam na notícia" querem que a população adote.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Ontem foi a Colação de Grau do meu pai. Fiquei bem orgulhoso pelo coroa. Emocionado também, por que não?
Vi a entrada dos formandos (malditos aplausos que não acabavam), o orador falando coisas bonitas, o juramento, os nomes esquisitos (Apoliana, Rogers...) a diretora da faculdade colocando um potinho de margarina (?) sobre a cabeça deles, dizendo alguma coisa e sorrindo.
Isso me fez gerar espectativas, afinal, não vai demorar muito- eu espero - para que eu esteja alí, recebendo os apalusos intermináveis, ouvindo as palavras bonitas do orador, cansando o braço por causa do juramento, recebendo potinho de margarina na cabeça e, sim, finalmente, jogando a toga pra cima, em sinal de "É. Agora eu sou alguém na vida".
Mas, muito além disso, espero poder olhar pra os meus pais que, com certeza, estarão orgulhosos de mim. Espero que estejam com o peito estufado, vendo que aquela cria deu certo.
Espero poder olhar pra minha avó, que tanto investiu em mim, na minha carreira (faculdade, fono, curso de italiano... tudo isso custa uma fortuna). Espero poder procurar naquela platéia e encontrar seus olhos, cheios de lágrimas de felicidade.
Ainda faltam dois bons anos. Por enquanto, só me resta esperar...