sábado, 1 de janeiro de 2011

É, voltei...

... mas foi pra dizer que estou indo embora de vez.


Este espaço não será desativado. Servirá para consultas de textos antigos. Novas postagens, só lá.
Obrigado a todos que sempre estiveram aqui comigo, que comentaram, que mandaram e-mail, que participaram do meu espaço. Espero vê-los lá.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Nós, jornalistas

Há exatamente um mês, mostramos diariamente a cobertura completa das enchentes e dos impactos causados por elas em Alagoas. Por trás de tudo isso, estamos nós, os profissionais, que – de alguma forma – nos envolvemos com aqueles casos e aquelas pessoas que aparecem na televisão.

Assim como você, nos comovemos, nos impressionamos, mas conhecemos bem o nosso dever de mostrar imagens e fatos que interessam ao telespectador.

Veja abaixo o que acontece por trás das câmeras. Acompanhe o depoimento de quem presenciou a tragédia no momento em que ela acontecia e de quem voltou lá depois que tudo já estava no chão.


segunda-feira, 12 de julho de 2010

Blasé


Adjetivo
1. Indiferença.
2. Apatia
3. Tédio aparente.

Etimologia
fr. blasé (1837) "indiferente, apático, que não demonstra emoção", part.pas. de blaser (sXVII-XVIII) "embotar o sentido do gosto, por excesso de comida e bebida, tornar-se indiferente ou insensível"

Gramática
fem.: blasée; pl.: blasés/blasées (fr.)

terça-feira, 6 de julho de 2010

Calando a boca

Entrei no salão de beleza pra fazer o pagamento de um corte de cabelo que tinha ficado 'pra depois'.
A menina do caixa que, como não lembro dela, deve ser novata, me perguntou com um ar de desconfiança:

- Como assim? Cortou o cabelo e esqueceu de pagar?
- Não. É que vocês estavam sem troco pra 100.

#chupa

terça-feira, 29 de junho de 2010

Perdendo um cliente em 3, 2, 1...

Manual de Como Perder Um Cliente em 5 Passos, por Engenho Massayó (Ex Bella Gulla)

1 – É proibido cumprimentar.

Não dê boa tarde. E se o seu cliente fizer isso, finja que não ouviu. Vire o rosto.


2 – É proibido atender...

Ligue uma televisão num jogo de futebol qualquer. Deixe todos os seus (dois) garçons entretidos na tela. Não atenda ao chamado do cliente, mesmo que ele levante o braço para tentar chamar a atenção. O jogo é mais importante que ele. Ele pode esperar.


2.1 - ... A não ser que lhe dê na telha

Quando acabar o jogo, venha ao encontro do seu cliente, pergunte o que ele quer.

- Pois não, senhor?

- Uma coca, por favor.

- Normal? Com gelo?

- Sim, normal. Sem gelo.


2.2 – Finja que esqueceu

Isso. Finja de novo. Só depois de algum tempo, quando o seu cliente já estiver terminado de comer, apareça com a Coca normal, mas COM gelo. Afinal de contas,você nem precisa fazer tudo exatamente do jeito que ele pediu.

É normal se ele não quiser mais a Coca (afinal, lembre que você só vai entregar a bebida na última garfada do seu cliente-exigente – SEM GELO É QUERER DEMAIS, NÉ?). Fique com a Coca pra você.


3 – A hora do pagamento.

Simplesmente diga o preço. Não pergunte se ele quer o CPF na nota, afinal, leis servem para ser burladas.

Quando o seu cliente pedir o CPF na nota fiscal, dê uma de louca, imprima a nota e diga ‘Êêêêta, rapaz. Já tirei a nota sem o CPF, ó!’ (Muito importante: Neste momento, deixe claro que você não pode fazer mais nada por ele).

Se o seu cliente for in-su-por-tá-vel ele vai querer o CPF na porra da nota mesmo assim. Diga que não tem como cancelar.


3.1 – A hora da piadinha

Seu cliente quer a nota com o CPF, afinal, é um direito dele (Foda-se, né? Todo mundo quer ter direito hoje em dia.), mas faça uma piadinha legal. Quem sabe ele morre de rir e esquece do CPF. Se não souber o que dizer nessa hora, fale assim:

- Eu posso anotar de caneta aqui, no cantinho da nota que eu já imprimi? (Ahn? Ahn? Muito boa essa, né?)


4 – Ligue para o seu chefe

OK. Se nem com a piadinha o mala do seu cliente desistiu da merda do CPF na porra da Nota Fiscal, ligue pro seu chefe. Relate o ocorrido. Diga, na frente do seu cliente: “Mas é que ele quer porque quer o CPF na Nota e eu não tenho como cancelar porque eu já tirei outra depois e etc.”. Passe pouco tempo no telefone para não gastar seus créditos.


5 – Dê uma de doido

Este é o último passo e, talvez, o mais importante. Você já deixou de cumprimentar, não deu atenção, demorou para atender, não ofereceu o CPF na nota – ou seja, desrespeitou o direito do seu cliente. Se você já passou por todas essas etapas, essa vai ser moleza.

Desligue o telefone, segure a nota na pontinha do dedo, olhe para o seu cliente e pergunte:

- Tem certeza que não quer aceitar a nota mesmo assim?


Pronto! Parabéns! Você não só acaba de perder um cliente, como acaba de ter o nome do seu estabelecimento incluído na listinha de reclamações da Secretaria da Fazenda do Estado.


Nota do autor: A piada de anotar o CPF no cantinho da Nota foi boa, não foi?

terça-feira, 1 de junho de 2010

Quando as crianças fazem Uau!
Que maravilha, que maravilha!
Mas que bobo veja só, olha só!
Eu me envergonho um pouco.
Já não sei mais fazer "Uau!",
Não brinco mais numa gangorra,
Não tenho a chave que abre a porta
dos nossos sonhos...

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Seres ou não seres?

O jornalista é um contador de história. Quase nunca é um conto de fadas, nem sempre com um final feliz. Sou obrigado a ver, diariamente, casos absurdos que revelam o lado animalesco e bizarro de seres humanos. Humanos?

O cenário é uma rua num bairro pobre de Maceió. O personagem principal é um homem novo, com seus vinte e poucos anos. De coadjuvante, uma senhora que foi agredida pelo personagem principal. Ela levou um murro na cara, desmaiou e foi parar no hospital.

Ele está deitado no chão, cercado por dezenas e dezenas de pessoas, que lhe chutam o rosto, o abdômen, as costas e qualquer outra parte do corpo que alcancem. Na boca, sangue. Nos olhos, sangue. No rosto, sangue. Na camisa, sangue. Na população, o desejo de ver sangue.

De figurante, um jornalista cobre o fato, sem poder deter a fúria de uma comunidade, que não agüenta mais ver casos como este e faz justiça com as próprias mãos, com os próprios pés. Por vezes, até pegam uma pedra ou outra emprestada.

Que tipo de bicho é esse? O bicho homem, criado por... quem? Deus ou diabo?